em novembro, paisagens humanas

:
:
(Cinatrium, 21h30)


DIA 5
alexandra, alexandr sokurov, rússia, frança, 2007, 92’, m/12

Sokurov foi descoberto em Portugal com "Mãe e Filho". Foi há cerca de dez anos, mas depois disso, e apesar de o cineasta ser bastante prolífico e manter há décadas um ritmo de pelo menos um filme por ano, por cá só se estreou "Pai e Filho", de 2003. "Alexandra" é o terceiro Sokurov a estrear em Portugal. Talvez se pudesse chamar "Avó e Neto", porque é disso que se trata (do encontro entre uma avó e um neto), integrando-se naquilo que se vai tornando, dentro da obra do cineasta russo, uma "série" dedicada ao amor familiar (e ainda lhe falta um filme sobre o amor fraternal, que há uns anos manifestou intenção de fazer). Mas ao mesmo tempo é de muito mais do que apenas um encontro entre uma avó e um neto que "Alexandra" trata. Complexo e flutuante (tão flutuante como a câmara de Sokurov, novo mestre do "travelling" e, supomos, do "steadycam"), é um dos filmes mais ricos, mais misteriosos, mais interpelativos, que veremos este ano.
Luís Miguel Oliveira








DIA 12
gomorra, matteo garrone, itália, 2008, 137’, m/16

Garrone adopta um tom bastante seco, evitando rodear os problemas ou romancear as situações. Tudo se revela com a dureza e a crueldade com que decorre na vida real, o que constitui uma vantagem para a narrativa que se torna genuína e de grande impacto. São os crimes e os vícios da Camorra que envolvem as diversas personagens, que se envolvem e envolvem outros num mundo de crime em que não há lugar para escrúpulos ou para um recuo.
Mesmo que de forma indirecta é a sociedade capitalista que está em causa, com as suas portas abertas à formação de pessoas que acabam por ver no lucro o único objectivo da vida, dando com alguma facilidade o passo da legalidade para o mundo do crime.
Premiado em Cannes com a Palma de Ouro, "Gomorra" merece sem dúvida a atenção do público cinéfilo.
cinedoc.pt


DIA 19
a ronda da noite, peter greenaway, canadá/frança/alemanha/polónia/holanda/reino unido, 2007, 134’, m/12

O quadro A Ronda da Noite, pintado por Rembrandt em 1642, e que deveria antes ser conhecido por A Companhia de Frans Banning Cocq e Willem von Ruytenburch, representa uma companhia de milicianos encabeçada por ricos mercadores de Amesterdão, pintada de forma dinâmica, prestes a marchar, ao invés de ser retratada em fila ou no banquete anual, como era convenção na época. Certo?
Errado. Totalmente errado, na opinião do realizador, e também pintor e desenhador britânico Peter Greenaway. Segundo ele, Rembrandt pintou A Ronda da Noite para denunciar o assassínio de uma das pessoas que deveria ter sido representada no quadro, e apontar os culpados, nele imortalizados.
Greenaway chama à obra-prima "o j'accuse de Rembrandt". Um corajoso ataque aos burgueses que encomendaram e pagaram a tela, e estavam envolvidos numa cabala para obter mais dinheiro, influência, proeminência social e mais poder em Amesterdão, na altura a cidade mais rica e próspera do Ocidente.
De acordo com Greenaway, a originalidade formal da famosa tela mais não é do que a maneira que o artista encontrou para semear as pistas alegóricas que permitiriam aos bons observadores desvendar o mistério e identificar os assassinos, sob a forma de várias "anomalias" pictóricas.
Eurico de Barros




DIA 26 – REPETIÇÃO*
aquele querido mês de agosto, miguel gomes, portugal, 150’, m/ 12 anos, presença do realizador (a confirmar), do produtor e do actor

*repetição – dado o sucesso do filme, o número de espectadores que não puderam entrar por a sala ter esgotado e querermos ajudar a produtora deste filme a alcançar os 20.000 espectadores (o que lhe permitirá aceder a certos apoios do Instituto do Cinema).

No coração do Portugal profundo, serrano, no meio de bailaricos nasce um filme, entre o documentário e a ficção, onde uma equipa de filmagem procura actores, e ao mesmo tempo transforma-se num elemento activo da acção. Amor e música, em sintonia com histórias de vidas mais ou menos estigmatizadas pela interioridade. Aquele Querido Mês de Agosto”, o único filme português presente em Cannes, incluído na Quinzena dos Realizadores, é um objecto cinematográfico aliciante.

2 comentários:

Ana Alves disse...

O FCC09 apresenta o primeiro Encontro Nacional de Bloggers de Cultura e/ou Criatividade!!
Este evento, a realizar no dia 08 de Fevereiro de 2009, inserido nas actividades do FCC09 tem por objectivo, reunir a comunidade de criadores de blogues, relacionados com as áreas do Património, Museus, Arte, Cultura e Indústrias Criativas, e criar um espaço informal de debate, discussão e partilha de ideias e experiências.
O registo como Blogger pode ser feito no nosso site, em Escreva-nos/Registo, e dá direito a um "Pass Blogger", que permite a entrada gratuita em todos os dias do TEMPUS e da CONCEPTA.
Para efectuar o registo como Blogger, deverá possuir um Blogue na área da Cultura ou Criatividade e nele introduzir uma referência ao FCC09 e um link para o nosso site (www.inovaforum.org).

Lélia Madeira disse...

Este filme é absolutamente fantástico!