faça sugestões sobre filmes a exibir no CCF nesta caixa de comentários. quer?

Filmes de estreia comercial. Recentes (menos de 3 anos).
De preferência, que não tenham 'passado' nas salas comerciais de cinema de Faro.
E que nós não tenhamos já exibido, claro.
Que tal?

15 comentários:

paradoxon disse...

Realmente é uma excelente sugestão e iniciativa .
A minha sugestão iria talvez fora um pouco do contexto sugerido , mas sugiro a exibição de alguns filmes da era do cinema mudo tais como filmes referentes a charlie chaplin,buster keaton, sergei eisenstein, dziga vertov,robert flaherty,d.w. griffith e talvex não seria má ideia um ciclo de cinema dedicado a novos realizadores portugueses no formato mais curto,as curtas metragens.
Mas também deixarei as minhas sugestões como é proposto aqui nest post.

paradoxon disse...

Andei ás voltas para me lembrar de alguns filmes e não me ocorreu nada , também a memória já não é o que era antes,enfim!!!!
Posso sempre deixar alguns titulos que aprecio muito e gostava de os rever no grande ecran.
Irma Vep -acho que quem realizou foi o olivier assayas
Nadja- de michael almereyda , o david lynch entra com um pequeno papel o homem da morgue simplesmente genial.
deadman-jim jarmusch
9songs-michael winterbottom
bubble-david cronenberg , para quem não conhece este filme é uma joia a descobrir .
elephant-alan clark uma média metragem britanica dos anos 80 a descobrir com urgencia.

talvez a descobrir o novo cinema japones numa vertente mais ligada ao terror.

se me lembrar de mais alguns volto cá.

anabela moutinho disse...

caro paradoxon,
a ideia é que nos dêem dicas sobre filmes RECENTES... daqueles que estrearam há pouco... e ainda não passaram por cá...

(todas as outras sugestões são óptimas, e sempre a considerar também, mas...)

Bruno Nunes disse...

Assim de cabeça:

- The Fountain (Darren Aronofsky) 2006
- El Camino de San Diego (Carlos Sorin) 2006
- Garden State (Zach Braff) 2004
- Good Night, and Good Luck. (George Clooney) 2005
- Broken Flowers (Jim Jarmusch) 2005
- The Life Aquatic with Steve Zissou (Wes Anderson) 2004
- The Merchant of Venice (Michael Radford) 2004
- Maquinista, El (Brad Anderson) 2004
- Hot Fuzz (Edgar Wright) 2007
- Shaun of the Dead (Edgar Wright) 2004
- Brick (Rian Johnson) 2005
- Anchorman: The Legend of Ron Burgundy (Andy McKay) 2004

Bem sei que é suposto aconselhar apenas filmes, mas acho que não se perdia nada em passar a gravação deste espectáculo:
- The White Stripes: Under the Blackpool Lights (2004)

Peço desde já desculpa pelo facto de desconhecer se estes filmes já passaram no Cine-Clube, mas são apenas sugestões de quem estaria disposto a pagar pra ver.

Bruno Nunes disse...

Já agora também não me importava de ver estes dois, embora me pareça que já terão passado no Cine-Clube:

- The Proposition (John Hillcoat) 2005
- The New World (Terrence Malick) 2005

anabela moutinho disse...

Bruno, obgdissimo!

alguns sim, outros não. ainda não? :-)

volte sempre!

Anónimo disse...

Cá vão os meus "cinco cêntimos":

-"Grizzly Bear" do mestre Werner Herzog
-"Three Times" de Hou Hsiao-hsien
-"Coeurs/Private Fears in Public Places" de Alain Resnais
-"The Science Of Sleep" de Michel Gondry
-"Lunacy" do incontornável Jan Svankmajer
-"The Three Burials Of Melquiades Estrada" de Tommy Lee Jones
-"The Squid And The Whale" de Noah Baumbach
-"Factotum" de Bent Hamer
"O Tempo Que Resta" de François Ozon
-"Em Paris" de Cristophe Honoré
-"Ninguém Sabe" de Hirokazu Kore-eda
-"O Paraíso, Agora" de Hany Abu-Assad

e aproveitando a sugestão anterior, para quando a estreia desse incontornável documentário da nossa história musical recente chamado "Filhos do Tédio" realizado por Rita Alcaide e Rodrigo Fernandes?

Abraço.
F.

Anónimo disse...

Olá!
Penso que o CCF podia, mantendo a sua programação dita “alternativa”, abrir um pouco o espectro a filmes do oficialmente declarado “circuito comercial” que, por atraírem mais o público geral, não deixam de ser boas razões para uma ida ao cinema. Como exemplo, sugiro algumas estreias recentes “Um Coração Poderoso” de Michael Winterbottom, “2 Dias em Paris” de Julie Delpy, “Mala Noche” de Gus Van Sant (este já deve estar nos vossos planos…) e dois que estão para chegar “Michael Clayton” de Tony Gilroy e “Peões em Jogo” de Robert Redford. No entanto, julgo que não chega abrir a programação a este género para voltar a ter as lotadíssimas sessões do passado. Há que garantir que estes – e os outros também – filmes passem quando o hype à sua volta está no máximo. Caso contrário, o filme acaba por sair em DVD e…já sabem…a partir daí, a maioria das pessoas não abdica da rotina sair do trabalho/ir para casa/fechar as persianas/enroscar-se no sofá.
Por último, gostaria ainda de sugerir que apostassem noutras formas de divulgação. Os mails, as cartas, o site, o blog só chega a quem já vos conhece. O boca-a-boca que foi eficiente, já não funciona. Por vezes, verifico que há muito boa gente em Faro e arredores que nunca ouviu falar do CCF simplesmente porque a vossa divulgação só chega aos locais onde já são conhecidos. Sem agarrarem parte desse público não creio que a Autarquia (que age em função do agrado daqueles que lhes mantêm o cargo e não de minorias como o público do CCF) vos dê grande apoio e financiamento.
Boa sorte!
Tiago.

Anónimo disse...

Alguém sugeriu passarem o DVD dum concerto dos White Stripes…parece-me uma excelente ideia! Aliás, até se podiam associar à FNAC ou à Valentim de Carvalho (ou outra qualquer) e fazer ante-estreias dos DVD musicais que vão saindo. Podiam propor a uma dessas empresas que eles fornecessem o DVD, vocês tratavam de atrair público e eles poderiam montar uma banca de venda com preços especiais. Estes eventos acontecem regularmente noutras cidades e acabam por ser bastante divertidos e uma bela forma de ter acesso, a baixo custo e em grande ecrã, aos DVD das bandas que nos enchem as medidas. Creio que até já há um festival sobre vídeo e música algures no Norte do País. Em Faro, o sítio perfeito para pôr esta ideia em prática parece-me ser o Salão Nobre d’Os Artistas.
Tiago

Anónimo disse...

Algumas sugestões de filmes sobre música, grupos e músicos intemporais:

Título: "The future is unwritten - Joe Strummer"
Realizador: Julien Temple
Ano: 2007
Duração: 123 min
País: Ireland/UK
http://www.joestrummerthemovie.com/

Título: "Control"
Realizador: Anton Corbijn
Ano: 2007
ESTREIA NACIONAL marcada para 11 de OUTUBRO
Duração: 121 min
País: UK/USA
http://momentum.control.substance001.com/

Título: "Brava Dança"
Realizador: Jorge Pires e José Pinheiro
Ano: 2006
Duração: 79 min
País: PT
http://bravadanca.blogspot.com/

Título: "No Direction Home: Bob Dylan"
Realizador: Martin Scorsese
Ano: 2005
Duração: 208 min
País: UK/USA/Japan
http://www.imdb.com/title/tt0367555/

Sílvia

clau disse...

Assim de repente, sugiro Black Snake Moan (2007), de Craig Brewer, com Samuel Jackson e Christina Ricci - um filme inesperado e ambíguo, politicamente incorrecto, com tudo para ser mau, mas que se aguenta à bronca - eu gostei :))

Saudações e feliz 2008!!!

Sandra disse...

Olá a todos:)
Não sei se já passaram alguns destes filmes, mas aqui vão as minhas sugestões:

- Nowhere in Africa (Caroline Link, 2001);
- No Man's Land (Danis Tanovic,2001);
- After the Wedding (Susanne Bier,2006);
- Paradise Now (Hany Abu-Assad, 2005);
- Divided We Fall (Jan Hrebejk,2000);
- Twin Sisters (Ben Sombogaart,2002, é adaptação de um livro e a autora vive no Algarve;
- Sophie Scholl: The Final Days (Marc Rothemund,2005);
- Joyeux Noël (Christian Carion,2005);
- Water (Deepa Mehta,2005.

Anónimo disse...

Hei gostaria que passassem aí o "body rice" porque não tive a opotunidade de ver e já o reposeram numa sala de cinema em Lisboa. Bring donwn the rice!

Anónimo disse...

Ontem, assisti há projecção no teatro Municipal o filme de Visconti a "Obsessão". Qual não é o meu espanto que a legendagem do filme é brasileira, com uma quantidade de termos inimagináveis. Não haverá disponível, o mesmo filme com uma legendagem em Português corrente.

cineclube de faro disse...

pois, tem razão - legendagens brasileiras têm esse inconveniente. mas não temos outra edição...

lamentamos o incómodo.