"O Grande Kilapy"


Na língua angolana kimbundu, Kilapy significa “golpe”, “pedir emprestado sem pagar”. É o que o jovem Joãozinho fez nos anos 1960, mesmo nascido em berço de ouro e sendo um galanteador bon vivant. Não media esforços para desviar dinheiro do Banco Nacional de Angola e entregar aos amigos necessitados, como um Robin Hood moderno. Preso por esse motivo, posteriormente foi libertado como herói nos braços do povo, a maioria combatente da vitoriosa luta pela libertação de Angola, que culminou com a Revolução dos Cravos de 1974 em Portugal.

Esse intrigante personagem é o tema de "O Grande Kilapy", filme do premiado realizador angolano Zezé Gamboa, onde a capital paraibana será palco das filmagens que começam neste domingo. Joãozinho é interpretado por Lázaro Ramos e o elenco conta com atores de vários países lusófonos, como Buda Lira, Adriana Rabello, Maria Ceiça e Antônio Pitanga do lado verde-amarelo do cast, os angolanos Pedro Hossi e Carlos Paca, o cabo-verdiano Sabri Lucaso, o moçambicano Alberto Magassela e os portugueses João Lagarto, Patrícia Bull, Filipe Crawford, Manuel Wiborg, Jorge Silva, Pedro Carraça, entre outros.

Ano passado, o diretor veio prestigiar o 4º Festival de Cinema de Países de Língua Portuguesa (Cineport), e se encantou com a beleza de João Pessoa. Tanto que notou a semelhança geográfica e arquitetônica com a Luanda colonial, terra do protagonista. Com os devidos contatos estabelecidos durante o festival e o apoio local de órgãos municipais, estaduais e privados, a capital da Paraíba atuará por uma semana a serviço do longa, que também tem locações em Portugal e Angola.

“É cativante essa simplicidade e cumplicidade de vir aqui filmar”, analisa o ator Buda Lira. “Além da possibilidade de atuar com atores de outras culturas”, disse.

Segundo o produtor executivo Fernando Andrade, não só o elenco é internacional: técnicos europeus, angolanos e brasileiros trabalham atrás das câmeras.

Não é de hoje que Gamboa tem um pé no Brasil. Seu primeiro filme, "O Herói", teve atuações das brasileiras Maria Ceiça e Neuza Borges. A película foi a vencedora do prêmio de júri para melhor filme estrangeiro no prestigiado Festival de Sundance de 2008. E foi neste evento que Danny Glover se disponibilizou para viver o pai de Joãozinho em "O Grande Kilapy". Infelizmente o ator estadunidense, que atuou recentemente em "Ensaio sobre a Cegueira", de Fernando Meirelles, não pode encarnar o papel por problemas de agenda. Coube o personagem ao brasileiro Antônio Pitanga.

A previsão para apreciarmos as edificações coloniais da capital na lente angolana de Gamboa é para abril de 2011. 

(Reportagem de Audaci Junior para o Jornal da Paraíba, em 18/09/2010)