1
Saudações cinéfilas a todos os sócios/membros do CCF e demais.

2
Fui ‘iniciado’ nestas lides do cinema no Algarve pela Anabela Moutinho e pela Graça Lobo através do programa JCE e respectivas acções de formação.

3
Sendo professor do ensino básico e secundário (actualmente a exercer em Quarteira) interessa-me sobretudo o papel que o audiovisual pode ter na formação dos jovens, principalmente dos que vivem neste reino do sul de Portugal.


Feitas as apresentações, toca mas é a postar, que o pessoal daqui não quer conversa fiada.
Há uns tempos atrás, a Graça disse-me que alguns ‘miúdos de Quarteira’ desabafaram que não tinham sonhos.
Caraças! Chiça! Fosga-se!
Onde é que já se viu, jovens sem sonhos!
Noutra altura, a meio de uma aula (talvez de Área de Projecto), um aluno disse-me plenamente convicto: “a mim não me interessa conhecer coisas diferentes”.
Cara…! Chiça! F…-se!

4b
Há cerca de uma década, duas distintas senhoras, professoras, ligadas ao CCF, tiveram uma ideia – levar o cinema às escolas, pôr os cachopitos a ver filmes. Para muitos deles seria a primeira vez que viram um filme sem ser na televisão.
Se calhar não é por aqui que se cria mais público para o cinema. Mais cedo ou mais tarde iriam à Guia ou ao Fórum…
Mas, se calhar é por aqui que se cria mais público crítico de cinema. Gente que algum tempo depois já não tem opiniões como aquelas que referi atrás.
Ele há muita coisa para fazer. Pois há. Mas o que interessa é que se faz.
Parabéns pelo aniversário.
Parabéns pelas iniciativas.

5a
Inaugurou recentemente no Palácio Foz a Cinemateca Júnior com uma exposição, creio que permanente, de brinquedos ópticos. Está excelente! Vale mesmo a pena. E não é só para juniores.
Tive a oportunidade de fazer uma visita guiada onde fui amavelmente acompanhado por uma das responsáveis. Muito inocentemente perguntei se uns instrumentos à entrada (um zootrópio, um praxinoscópio e uns taumatrópios) seriam exemplares para venda. De uma forma igualmente amável foi-me respondido que não, que a exposição ainda não dispunha de ‘merchandising’. Oh, que pena!
Parece que também não se prevêem edições nacionais em DVD de filmes do início do cinema (português e não só), pelo menos por parte da Cinemateca. Eu cá acho que o DVD ainda não substitui a película nem a projecção em sala de cinema e se o DVD permite maior divulgação, também aguça a curiosidade para depois… (quem sabe?)

5b
Se calhar não é novidade nenhuma, mas esta semana há o Monstra (também em Lisboa), festival de animação com competição, e que competição… são apenas 8 filmes mas aquilo promete.
Dizem eles que é “um espaço de encontro e convergência do cinema de animação com outros média e com outras artes” e pretende “anualmente editar livros e filmes que possam colmatar o vazio nesta área”. Oba, que legal! Está tudo lá no www.monstrafestival.com .
E a parte de formação é do baril, com o Alexander Petrov e tudo.

A fechar
1- Afinal não é só no Allgarve que se fazem coisas giras!
2- Alguém me arranja (em DVD claro) o filme de 1903 “Uncle Tom’s Cabin” do império do Th. Edison?

Um grande bem haja,
Pedro Félix

2 comentários:

anabela moutinho disse...

oi pedro!

começando pelo fim, deduzo então que esse edison não faz parte da colecção do ccf?

o que me chateia na monstra é ser em lisboa :D e o que eu queria daquilo era a retrospectiva dos russos e, claro, trazer cá o petrov...

inda bem que foste tu a perguntar isso tudo lá na cinemateca jovem. a mim já nem me respondem... ;-)

saudações tb.

e vai tendo paciência, mt paciência, com esses trogloditas que apanhas nas aulas...

Rf disse...

Eu vou aroveitar Lisboa para ver se vou à monstra, e tb à gulbenkian ver alguns dos filmes (entre outras coisas) da 2ª plataforma do estado do mundo, o q m leva a questionar-t, chefe, se não haveria hipótese de levar algumas destas coisas aí a baixo?? tipo a retospectiva do petrov, o petrov... outros...